Arquivo

Posts Tagged ‘Aquorio’

Guppies Xifópagos – AquoRIO Newsletter 3

20/01/2013 1 comentário

3ª Edição da Newsletter Oficial da AQUORIO – Associação dos Aquicultores Ornamentais do Estado do Rio de Janeiro, com matéria especial sobre Guppies Xifópagos, se encontra disponível para download.

AquoRIO News 3

Assuntos desta edição:

  • Guppies Xifópagos
  • O Homem dos Blood Worms
  • Nome das Espécies – Regras de Nomenclatura Zoológica
  • Alimentação
  • Cursos à Distância no Sebrae
  • Lojas e criadores conveniados
  • Cadastro de Associados
  • Lista de Peixes Permitidos
  • Edições anteriores da Newsletter

Link: aquorio.com (PDF – 276Kb)

Encontro Nacional de Criadores de Bettas – ENABETTAS 2012

Encontro nacional com palestras, exposição de bettas, participação de criadores de vários estados, premiações, troféus, etc.

Data: 22 a 24/Nov/2012

Realização: CEA e AQUORIO

Local:
Rua Senador Bernardo Monteiro, nº 18
Benfica – Rio de Janeiro/RJ

Mapa:

Mais informações: enabettas.com.br e Twitter

Foto do ENABETTAS 2011:

Curso de criação comercial e doméstica do Betta splendens

14/06/2012 3 comentários
LOCAL: UNISUAM – BONSUCESSO – RJ

 
DATA: 14/Jul/2012 de 08h00 até 17h00 – Sábado
           21/Jul/2012 de 08h00 até 17h00 – Sábado

 
PERÍODO DE INSCRIÇÃO: 05/Jun/2012 até 11/Jul/2012, no site da Unisuam

 
www.unisuam.edu.br (Ícone: EXTENÇÃO – ATIVIDADES – CÓDIGO: CAP 00284)
link: http://apl.unisuam.edu.br/sagaweb/aluno/selecaoatividade.php

 
Código do curso: CAP 00284

 

OBJETIVO: Implementar um criatório da espécie em questão, como fonte de renda complementar ou como atividade principal.

 

EMENTA: Origem, taxonomia, anatomia, manutenção e reprodução, principais enfermidades, princípios básicos da nutrição, princípios básicos de genética, produção comercial, perspectiva de mercado, legislação aplicada.

 
Professores:
Wilson Vianna – Biólogo, Pós – graduado em Biologia Marinha.
Reinaldo Santana – Médico veterinário

 
Valor do investimento: R$ 40,00

 
BIBLIOGRAFIA UTILIZADA:

– GAMA.T.L., Melhoramento Genético Animal, 2ª. ed. Editora Escolar.2002
– OTTO, P.G., Genética Básica para Veterinária, 4ª Ed. São Paulo, Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociência da Universidade de São Paulo.
– GRIFFITHS et al, Introduction to Genetic Analysis, 9ª. ed. USA: New York and Basingstoke, 2008.
– STANSFIELD, W. D., Genética, 2ª. Ed. Brasil, McGraw-Hill do Brasil, Ltda, 1985.
– BASILE, R.; MAGALHÃES. L.E., Citologia e Genética, 4ª. Ed., São Paulo, Departamento de Biologia do Instituto de Biociência da Universidade de São Paulo.
– ALVES, D.R., Apostila de Enfermidades de Peixes Ornamentais, Rio de Janeiro: Marinnes Informática, 2006. 38p.
– AXELROD et al, Atlas of Freshwater Aquarium Fishes, 3ª. ed. USA: TFH Publications INC, 1989. 797 p.
– AUGUSTUS. Uma Revisão Sobre o Papel dos Carboidratos e das Proteínas no Metabolismos de Peixes com Hábito Carnívoro e Onívoro, Rio de Janeiro, UNISUAM, vol 9, jan/jun 2004, 72 p.
– BASSLEER, G. The New Ilustraded Guide to fish Diseases, 1ª. ed. Inglaterra: 1993.  232 p.
– CARVENIA, D. Alimentos e Alimentación de Peces de Acuário, Uruguai: Associação Uruguaia de Acuaristas, 1989. 90 p.
– DAMÁZIO, A. Criando o Beta, 2ª. ed, Rio de Janeiro: Interciência, 1992. 80p.
– GLOBO RURAL. Mercado de Peixes Ornamentais para Aquários, Rio de Janeiro, NASSAR, nº 148, fev de 1998. 92 p.
– YOSHINO,S.; KOBAYASHI, D. The Natural Aquarium, USA: TFH Publications INC, 1996. 132p.
– MANIA DE BICHO, O Comportamento de Luta dos Peixes, Rio de Janeiro, CHAVES, Nº 72, outubro de 2003, 26p.
– MANIA DE BICHO, Os Novos Betas, Rio de Janeiro, CHAVES, Nº 85, novembro de 2004, 30 p.
– MANIA DE BICHO, O Betta Splendens, Rio de Janeiro, CHAVES, Nº 112, fevereiro de 2007, 26 p.
– MAURUS, W. Bettas A Complete Introduction, USA: TFH Publications INC, 1987. 129 p.
– MILLS, D; VEVERS, G. Enciclopédia prática dos Peixes Tropicais de Aquário, Rio de Janeiro: Globo, 1982. 210p.
– NACHSTEDT, J; TUSCHE, H. Breeding Aquarium Fishes, New York: Aquarium Stok Co, 1984. 130p.
– REVISTA DE AQUARIOFILIA, O Beta Mármore, Rio de Janeiro, NOTARE; CAFÉ FILHO, nº 7, 1989, 65 p.
– SELJAN JR, Y; GONÇALVES, C.G. Aquários Construção e Manutenção, Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1990. 88p
– SPOTLE, S.H. Fish And Invertebrate Culture, New York: 1970. 145 p.
– STORER et al. Zoologia Geral, 6ª. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2003.816 p.
– TROPICAL FISH HOBBYIST, Bettas for Beginning Breeders, USA, AXELROD, nº 11, julho de 1988. 150 p.
– TROPICAL FISH HOBBYIST, Beautiful Bettas, USA, AXELROD, nº 7, julho de 1988. 226 p.
– VIANNA, W.O., Apostila de Criação Doméstica e Comercial do Betta Splendens, Rio de Janeiro: Marinnes Informática, 2006. 38p.
– VIDA AQUÁTICA, Mantenimiento em bateria Del Betta Splendens, Barcelona, MATHEU, nº 9, 1968.250 p.
– VIDAL JR, M.V. Produção de Peixes Ornamentais, 2ª. ed. Minas Gerais: CPT, 2003.200p.
– VIVEIROS E AQUÁRIOS. Betta O Peixe de Briga, Rio de Janeiro, OLIVEIRA, ano 1, nº 4, julho de 1982, 35 p.
– WHILERN, W.L. A Beginner’s Guide to Betta, USA, TFH Publications INC, 1986. 60p.
– UNTERGASSER, D. Handbook Fish Diseases, USA, TFH Publications INC, 1989. 22/160p.

Tags:,

PALESTRA: A cadeia produtiva do peixe ornamental

Carta Convite CEA/AQUORIO 02/2012

CEA - Centro de Estudos de Aquariofilia

O Centro de Estudos de Aquariofilia – CEA e a Associação de Aquicultores Ornamentais do Estado do Rio de Janeiro – AQUORIO convidam para participar da Palestra intitulada “A CADEIA PRODUTIVA DO PEIXE ORNAMENTAL” e mesa redonda sobre “AQUISIÇÃO, PREÇO E QUALIDADE DE PEIXES ORNAMENTAIS”, que será realizado no dia 26 de maio de 2012, a partir das 09h30, no “Espaço Professor Gastão Botelho”, situado à Rua Senador Bernardo Monteiro, nº 18, no Bairro de Benfica, no interior da loja Smart Fish.

Programa:

1 – Palestra: A CADEIA PRODUTIVA DO PEIXE ORNAMENTAL – Mario Porto (Engenheiro de Pesca, titular da Piscicultura Mario Porto)

Detalhamento:

Mario Porto é um dos maiores produtores de peixes ornamentais do país, especializado principalmente em kinguios e carpas, dos quais produz dezenas de variedades. Produz também acará disco, algae eater, botias e labeos, entre outros.

Nesta palestra Mario abre praticamente a sua fazenda e mostra detalhadamente todas as fases de produção de uma piscicultura, começando pela coleta da água, preparação e adubação dos tanques, criação do alimento vivo, produção de alevinos, desenvolvimento e engorda, reprodução, seleção genética, produção de matrizes, seleção de peixes para venda, colocação dos peixes no mercado, transporte, etc.

Mario é detentor do pioneirismo na reprodução – no Brasil – de espécies consideradas de elevado grau de dificuldades, entre elas botias e lábeos.

2 – Mesa redonda: Aquisição, preço e qualidade de peixes ornamentais.

Participantes: Denilson Moreira, Marcus Gouvêa, Mario Porto, Manuel Mourão, Wilson Vianna, Jonas Motta, Rodrigo Marraschi, Marcos Mataratzis, Cleber Barbosa, Reinaldo Santana, Oswaldo Caetano, lojistas, hobistas, atacadistas e importadores.

Na ocasião Denilson Moreira apresentará um breve resumo sobre a Aquariofilia na Argentina, onde ele esteve recentemente.

Atenciosamente,
John Klaus Kanenberg
DCE/AQUORIO

Tags:

Resumo do 9º Encontro sobre Acarás-disco

O 9º Encontro Sobre Acarás-disco foi realizado no dia 31 de março de 2012, no Espaço prof. Gastão Botelho, situado á Rua Senador Bernardo Monteiro, nº 18, no bairro de Benfica, no Rio de Janeiro, sob o patrocínio da loja Smart Fish. Apoiaram o evento as seguintes empresas: Sera, Aquário Imperial, Mundo Sub, Piscicultura Gurupy Discus, Piscicultura Universo dos Peixes, Piscicultura Mario Porto, Piscicultura Power Fish, Piscicultura Cristal, Terra dos Peixes Ornamentais, Revista Aquarista Junior, Loja Maxim’s Fish; os sites: Bettabrasil, Vitória Reef, Aquaflux e o Blog Aquarismo Ornamental.

Reunindo aproximadamente cento e vinte aquariofilistas, o encontro iniciou-se ás 09h30, com um breve pronunciamento do Sr. Marcus Gouvêa, Diretor de Comunicação e Marketing da AQUORIO, sobre os objetivos da entidade. Logo em seguida Gouvêa anunciou a primeira palestra do dia “Síntese da Viagem ao Alto Rio Negro“, que foi ministrada pelo biólogo Wilson Vianna, Gestor do Centro de Estudos de Aquariofilia – CEA e presidente da AQUORIO.

Wilson iniciou a palestra falando sobre as ações preliminares que deverão ser observadas para quem deseja realizar uma viagem à “Terra dos Discos e  Neons”, entre elas as vestimentas, a alimentação, as vacinas, o pessoal de suporte, os contatos, etc. O palestrante citou a diminuição nas exportações dos peixes da bacia do alto Rio Negro, principalmente os neons cardinais, que vem acarretando a redução no número de piabeiros, criando um caos social para aqueles que sobrevivem exclusivamente da pesca do peixe ornamental. Vianna mostrou fotos detalhadas das casas dos piabeiros, por dentro e por fora e explicou como eles estão sobrevivendo com a atual situação.

O palestrante levou os participantes para uma “viagem imaginária”, pelos igapés e igarapés, na floresta inundada, com raízes submersas e água cor de chá entre discos, neons, bandeiras, rodostomus e bodós, quando apresentou fotos inéditas daquele fantástico ecossistema e simultaneamente passou para os participantes – ao vivo e a cores – amostras de água daquele biótopo, bem como o rapiché, apetrecho utilizado para capturar o neon, rodostomus, borboleta, etc. Wilson terminou relatando os perigos da região, entre eles a malária, a sucuri, a onça, o jacaré, a arráia, o candirú, etc, alertando que numa viagem desta natureza existe o risco de morte, devendo, portanto, haver a contratação de pessoal devidamente habilitado para fornecer segurança à expedição.

A segunda palestra começou às 10h30, sob o titulo de “As Necessidades Nutricionais do Acará-Disco” que foi Ministrada pelo Doutor Manuel Vazquez, professor de Aquicultura da UENF e Consultor científico da AQUORIO.

Vazquez iniciou a sua palestra ressaltando que as necessidades nutricionais dos Acarás-discos deverão ser avaliadas de acordo com a idade do animal, devendo ser distinta para as fases de alevinos, juvenis, adultos e matrizes, nas quais as exigências proteicas são diferenciadas. Manuel apresentou um gráfico com a formulação das principais rações disponíveis no mercado e mais comumente usadas pelos criadores de discos, evidenciando a enorme gama de produtos utilizados, cujo objetivo é oferecer um grande número de elementos nutricionais, uma vez que não há o conhecimento de quais serão melhor metabilizados e absorvidos pelo organismo do disco. Vazquez explicou, também que em face da anatomia do trato digestivo do Acará-disco, a sua digestão é rápida e, portanto, a adoção de várias refeições, durante o dia, seria a forma mais correta para suprir às suas necessidades e propiciar um rápido crescimento. O palestrante alertou sobre os cuidados que deverão ser observados com algumas rações, disponíveis no mercado, que apresentam uma incrível variedade de cores, que sugere ao leigo que irão ativar as cores dos discos, quando, no entanto, o objetivo é agradar ao comprador (dono dos discos). Manuel explicou que muitas vezes o criador acha que o seu disco não está apresentando um bom desenvolvimento, em função da alimentação que está oferecendo, sendo que outros fatores influenciam diretamente no crescimento do animal, entre eles o estresse oriundo da incompatibilidade nos parâmetros físico-químicos da água, da superpopulação, da oferta de luz, entre outros. Vazquez concluiu, ressaltando, que não existe fórmula padrão para criar discos e que cada caso deverá ser avaliado individualmente. Cada criador deverá observar, pesquisar, estudar e criar o seu próprio manejo nutricional.

Às 11h30 iniciaram-se os debates da mesa redonda, moderados pelo Diretor de Comunicação e Marketing da AQUORIO, o Sr. Marcus Gouvêa. A mesa foi composta pelos consultores do Centro de Estudos de Aquariofilia – CEA: Manuel Mourão (pioneiro na reprodução de discos no Brasil), Reinaldo Santana (médico veterinário, membro da comissão de sanidade de organismos aquáticos do MAPA) Marcus Gouvêa (criador de discos e titular da piscicultura Gurupy Discos), Marcos Mataratzis (químico e professor de química, administrador do fórum Vitória Reef), Manuel Vasquez (doutor em aquicultura, professor de aquicultura da UENF, com várias publicações científicas sobre o Acara-disco), Rodrigo Marraschi (biólogo, criador de acarás-disco, titular da empresa MundoSUB, titular da piscicultura Pais & Filhos, titular da empresa AQUA-Produções), Mario Porto (engenheiro de pesca, titular da piscicultura Mario Porto, pioneiro na reprodução de botias e labeos no Brasil), Jonas Motta (Zootecnista, responsável pelo setor de produção de Acarás-disco da Piscicultura Mario Porto), Roberto Dias (biólogo do laboratório de Ictiologia da UFRJ, especialista em ciclídeos). Vale destacar, ainda, a participação especial do Dr. Oswaldo Caetano, Analista ambiental, do IBAMA e consultor técnico do CEA, que mesmo não estando à mesa acrescentou conhecimentos intrínsecos aos debates.

As enfermidades, a ciclagem da água e o manejo, foram os temas mais discutidos na mesa redonda e uma vez que as dúvidas nesses quesitos têm sido constantes, estaremos explorando cada um deles em palestras específicas.

O encontro terminou por volta das 14h00, com a tradicional confraternização, entre os participantes, oportunidades de acesso direto aos consultores e criadores e o farto coquetel oferecido pela Loja Smart Fish.

9º ENCONTRO SOBRE ACARÁS DISCO

05/03/2012 1 comentário

CEA - Centro de Estudos de Aquariofilia

O Centro de Estudos de Aquariofilia – CEA e a Associação de Aquicultores Ornamentais do Estado do Rio de Janeiro – AQUORIO convidam para participar do 9º ENCONTRO SOBRE ACARÁS DISCO, que será realizado no dia 31 de março de 2012, a partir das 09h30, no “Espaço Professor Gastão Botelho”, situado à Rua Senador Bernardo Monteiro, nº 18, no Bairro de Benfica, no interior da loja Smart Fish, a seguir discriminado:

Programa:

1 – Palestra: Viagem ao Alto Rio Negro – Wilson Vianna e Mario Porto

Itens abordados:

  • O biótopo do Acará disco
  • A pescaria do Acará Disco (como é pescado, o preço na origem, os locais de pesca).
  • A água do habitat do acará disco (conheça ao vivo e a cores a água trazida diretamente do Biótopo do acará disco. Veja cor, sinta o cheiro, teste seu pH, DH, condutividade elétrica, etc.).
  • Os pescadores de acará disco, acará bandeira, corydoras, cascudos, neons. Como sobrevivem, suas casas, a situação atual.
  • O Biótopo do Neon Cardinal. (conheça ao vivo e a cores a água trazida diretamente do Biótopo do acará disco. Veja cor, sinta o cheiro, teste seu pH, DH, condutividade elétrica, etc.).
  • O rapiché (conheça ao vivo e a cores o artefato utilizado para capturar o Neon cardinal)
  • A Situação do Município de Barcelos, considerado até pouco tempo o centro principal de exportação do alto Rio Negro.
  • O projeto Piabas – Onde está o Dr. Chao????
  • O que é preciso para realizar uma viagem ao Alto Rio Negro.

2 – Palestra: Necessidades Nutricionais do Acará Disco – Manuel Vazquez

3 – Mesa redonda sobre a alimentação e água para o Acará Disco

Participantes: Marcus Gouvêa, Mario Porto, Manuel Mourão, Wilson Vianna, Jonas Motta, Rodrigo Marraschi, Marcos Mataratzis, Cleber Barbosa e Reinaldo Santana.

Tags:

Licenciamento ambiental para criadores de peixes ornamentais

02/03/2012 6 comentários

No dia 24/Fev/2012 a AQUORIO levou representantes do INEA, Órgão responsável pelo licenciamento ambiental no RJ e do Ministério da Pesca e Aquicultura – MPA, numa visitação às aquiculturas de peixes ornamentais, na região de Magé, Guapimirim, Cachoeira de Macacu e adjacências.

O Objetivo deste trabalho foi de fornecer aos órgãos regulamentadores conhecimentos específicos sobre a aquicultura ornamental, mostrando que os criatórios, em sua maioria, são menores do que aqueles utilizados na aquicultura para abate; que não poluem o meio ambiente; que são de baixo impacto ambiental e que, portanto, merecem tratamento diferenciado e legislação específica.

Tanques escavados no chão – Bairro Cachoeirinha

Tanques escavados no chão – Bairro Cachoeirinha

A visitação às aquiculturas foi realizada pelos seguintes funcionários dos órgãos regulamentadores:

– Sr. Julio Avelar (Superintendente – INEA)
– Sra. Lucia Barbosa (Assessora da Presidente – INEA)
– Sra. Maria Paula (Superintendência Federal de Pesca e Aquicultura do MPA/RJ)

Em apoio a AQUORIO estiveram presentes:
– Dr. Aluisio Sturn (Secretário de Agricultura de Magé)
– Sr. Edison Cruz (representante da Emater)

A visitação iniciou-se na Piscicultura São Sebastião, no Bairro da Cachoeirinha, por volta das 10h: 30m. O Superintendente Julio Avelar fez contato diretamente com os criadores, coletando uma série de informações, entre as quais podemos destacar: o local de coleta da água (quantidade e periodicidade), arraçoamento (quantidade e periodicidade), tratamento dos efluentes, parâmetros físicos – químicos da água, origem das espécies, ciclo biológico das espécies, enfermidades mais comuns e seus agentes, produtos químicos utilizados, tamanho da área utilizada, tamanho dos tanques, tamanho da propriedade, etc. Todas as pisciculturas foram fotografadas detalhadamente.

Ney (criador), Julio Avelar (INEA), Lucia (INEA), Mario Porto (AQUORIO), Maria Paula (MPA) e Rodrigo Marraschi ( AQUORIO)

Ney (criador), Julio Avelar (INEA), Lucia (INEA), Mario Porto (AQUORIO), Maria Paula (MPA) e Rodrigo Marraschi ( AQUORIO)

A equipe AQUORIO, formada por biólogos, médico veterinário e engenheiro de pesca, acompanhou de perto e assessorou os criadores nas respostas e questionamentos.

Outra questão cobrada aos criadores referiu-se ao registro de aquicultor, quesito necessário para iniciar o processo de licenciamento ambiental. Todos os criadores visitados haviam se registrado anteriormente através de campanha realizada pela AQUORIO.

O pessoal da AQUORIO (Wilson Vianna, Rodrigo Marraschi, diretor; Reinaldo Santana, diretor e Mario Porto, diretor) procurou mostrar, aos representantes dos órgãos regulamentadores, as diversas modalidades de pisciculturas: pequenas, médias e grandes; tanques de concreto e tanques escavados no chão; criação em aquários, criação em caixas d’água; criação em área urbana e rural, criação com água de nascente, água de poço e água da estação de tratamento, etc.

Aquários de Criação de Acara disco

Aquários de Criação de Acara disco

A visitação terminou por volta das 19h: 00m, na Piscicultura Mario Porto, a maior do estado do RJ. A comissão se mostrou satisfeita com o resultado, com os novos conhecimentos adquiridos que, segundo eles, diferem realmente das pisciculturas de abate. O Sr. Julio Avelar informou que o material será analisado por equipes técnicas do INEA e que posteriormente a AQUORIO será convocada para uma reunião para esclarecimento e discussão dos resultados.

Adalto (produtor rural), Edison Cruz (Emater), Ney (criador de bettas), Dr. Aluisio (Secretario de Agricultura) e Wilson Vianna (presidente da AQUORIO)

Adalto (produtor rural), Edison Cruz (Emater), Ney (criador de bettas), Dr. Aluisio (Secretario de Agricultura) e Wilson Vianna (presidente da AQUORIO)

Caros senhores observem que foi um verdadeiro “mutirão de entidades regulamentadoras” INEA, MPA, Secretaria de Agricultura e EMATER, tal fato nunca foi visto – em tempo algum – na aquicultura Ornamental. Tal indicativo é uma resposta ao trabalho sério da AQUORIO.

Outras fotos

Criatório exclusivo de guppy

Criatório exclusivo de guppy

Juvenis de discos em crescimento

Juvenis de discos em crescimento

Tanques de crescimento de peixe japonês

Tanques de crescimento de peixe japonês

Tanques de crescimento de Bettas

Tanques de crescimento de Bettas

Tanques de crescimento de carpas

Tanques de crescimento de carpas