Início > Aquariofilia > Artemia salina não existe

Artemia salina não existe

De acordo com a literatura especializada em sistemática a espécie Artemia salina deixou de existir, possivelmente há mais de 150 anos.

Descrito por Linnaeus, no ano de 1758, este crustáceo era abundante nas lagoas de Limington, na Inglaterra, no entanto, essas lagoas secaram no século XX e as populações que ali existiam utilizadas na sua descrição, foram totalmente extintas.

Em função deste fato ninguém pode afirmar que as artemias encontradas no mundo atualmente pertençam à mesma espécie daquela descrita por aquele naturalista sueco.

De acordo com a comunidade científica as espécies de Artemia conhecidas são sete:

  • Artemia salina: Lymington, England (extinta)
  • Artemia Tunisiana: Europa
  • Artemia franciscana: América (Norte, Central e do Sul)
  • Persimilis artemia: Argentina
  • Artemia urmiana: Irã
  • Artemia monica: Mono Lake, CA – E.U.A.
  • Artemia partenogenética: Europa Ásia e Oceania

No Brasil a espécie que existe e que utilizamos em nossos aquários é a Artemia franciscana oriunda, em sua maior parte, do estado do Rio Grande do Norte.

Atualmente, a maioria dos cistos de Artemia encontrada no mercado é proveniente do lago Great Salt Lake, estado de Utah, Estados Unidos.

As pesquisas relacionadas à utilização da Artemia para a aquicultura iniciaram-se na Bélgica, na “Ghent University”, no ano de 1970. No ano de 1978 foi criado pelo Dr. Patrick Sorgeloos a “Artemia Reference Center”, atualmente chamado de “laboratory of Aquaculture Artemia Reference Center”, sendo este o mais avançado centro de estudo do animal em questão.

Texto:
Wilson Vianna

Referências bibliográficas:

SORGELOOS, P. Life history of the brine shrimp Artemia, laboratory of aquaculture Artemia Reference Center, Bélgica, “Ghent University”, 2000. SORGELOOS, P.; LAVENS, P.; LÉ, P.; TACKAERT, W.; DANNY, V. Manual for the culture and use of brine shrimp Artemia, Ghent, Bélgica, 1986. VINATEA, J.E. Artemia um ser vivo excepcional , ed. Panorama da Aquicultura Ltda, Rio de Janeiro, revista Panorama da Aquicultura, vol.4, nº 25, p. 8,9. 1994.

Fonte:
Centro de Estudos de Aquariofilia
CEANews 009/2010

Anúncios
Tags:
  1. Luiz Augusto
    05/07/2011 às 8:44 PM

    Grande JKK! Parabéns pela iniciativa e pelo blog!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: